Você conhece ou já ouviu falar da doença do refluxo gastroesofágico (DRGE)?

A DRGE, atinge cerca de 25% da população mundial, sendo um dos diagnósticos mais comuns na gastroenterologia. Mas, mesmo assim, muitas pessoas ainda não têm conhecimento da doença.

O que é a doença do refluxo gastroesofágico?

Também popularmente conhecida como azia, a DRGE ocorre quando acontece o retorno involuntário e repetitivo do conteúdo gástrico, do estômago, para o esôfago, ou seja,  onde suas mucosas não estão preparadas para receber substâncias ácidas, podendo causar sintomas desagradáveis ou complicações.

Causas

São vários fatores que podem fazer com que o refluxo se torne patológico. Um deles é a abertura ou relaxamento transitório do esfíncter, isso porque, ele é responsável em separar o esôfago do estômago e  funciona como uma válvula para impedir o retorno dos alimentos. Outro fator é a hérnia de hiato e a fragilidade das estruturas musculares da região.

Agende uma Consulta

 

REFLUXO GASTROESOFÁGICO

Quais os sintomas?

Sintomas e condições associadas a doença do refluxo podem ser classificadas em 2 grupos: síndromes esofágicas (DRGE) e síndromes extraesofágicas (RFL)

Nas síndromes esofágicas, os sintomas encontrados são, por exemplo: azia, regurgitação, dor à deglutição e dores no tórax. Também pode ocorrer  salivação excessiva e náuseas, sintomas menos frequentes.

Nas síndromes extraesofágicas (refluxo Faringo-laríngeo), os sintomas mais comuns são tosse crônica, engasgos,  pigarro persistente, sensação de “bolo na garganta”, rouquidão,  asma, erosão do esmalte dos dentes causada pelo conteúdo gástrico ao retornar até a boca.

Nestes casos, o tratamento envolve:

Dieta alimentar: Não ingerir frutas cítricas, tomates, cebolas, por exemplo. Bebidas que contenham gás ou cafeína, pimenta, comidas com excesso de gordura, chocolate e chá.

– Não fazer uso do tabaco.

– Consultar um nutricionista, isto é , para evitar a obesidade;

– Principalmente, reduzir o consumo de álcool;

– Não se deitar logo após as refeições;

– Elevar a cabeceira da cama é uma opção, isto é, caso os refluxos aconteçam à noite;

– Evitar roupas apertadas;

O tratamento também pode envolver medicamentos, mas, sendo eles de duração variável, dependendo do paciente e seus sintomas.

A cirurgia também pode ser uma alternativa. A clássica cirurgia para a doença do refluxo é a laparoscopia, onde a parte alta do estômago é suturada ao redor da porção distal do esôfago, com o objetivo de criar uma barreira anti refluxo.

Formas de reduzir os sintomas causados pelo Refluxo :

 Faça sua refeição noturna (jantar), o mais cedo possível

É recomendado que o jantar seja leve, sólido e de fácil digestão ,realizado pelo menos 3 horas antes de se deitar . A ingestão de líquido deve ser encerrada por volta de duas horas e meia a três horas antes de deitar, para que assim não haja o refluxo do ácido para a região esofágica e pra região da via respiratória  

Deixe a cabeceira da cama elevada

Quando a cabeceira da cama está alta (cerca de 28 centímetros), o corpo fica em uma posição não tão ereta, ou seja , reduzindo assim os quadros de refluxos a noite.

Durma do lado esquerdo

O estômago e o esôfago, posicionam-se, exatamente na região direita do corpo. Por isso, ao dormir do lado oposto à sua localização, evita que a válvula responsável pelo ácido gástrico, seja pressionada.

Além disso, é importante evitar remédios para dormir, essencialmente não se automedique.

Evite o cigarro

Agende uma Consulta 

O tabagismo induz tosse, coloca mais pressão e enfraquece o esfíncter esofágico. Além disso, ele reduz a produção de saliva, que normalmente neutraliza o ácido gástrico que reflui para o esôfago; e aumenta a produção de ácidos digestivos corrosivos.

Procure sempre relaxar

Quando se está estressado é comum que o indivíduo fume mais, beba mais álcool e ingira alimentos que provocam o refluxo, por exemplo. Por isso, preste atenção aos seus níveis de estresse e sempre procure maneiras de relaxar.

Controle a asma

É comum que asmáticos tenham a doença do refluxo, isso porque tossir e respirar com dificuldade pode provocar refluxo dos ácidos estomacais para dentro do esôfago. Sendo assim, procure manter a asma controlada.

Observe os remédios que você toma

Muitos medicamentos podem atrapalhar o fechamento do esfíncter esofágico. Como por exemplo, antibióticos, antidepressivos, analgésicos, tranquilizantes, entre outros. Se você tem azia ou refluxo, consulte seu médico e pergunte se seus medicamentos podem estar contribuindo para este desconforto.

Aumente a ingestão de fibras

As fibras ajudam a absorver o excesso de óxido nítrico, um composto que relaxa os músculos do sistema digestivo.

 

Agende uma Consulta