Zumbido

zumbidoO que é?
O zumbido é um “barulho” nos ouvidos, quando não há nenhum ruído presente. Pode se parecer com um apito, chiado, panela de pressão, cigarra, grilo, cachoeira, escape de ar, motor de geladeira, tum-tum-tum, etc. Ao contrário do que muita gente pensa, o zumbido não é uma doença, mas sim um sintoma, que aparece por causa de diversas doenças. O zumbido é muito mais frequentes do que imaginamos, 15 a 17% da população mundial têm esse sintoma. Sua frequência é maior nos idosos.

QUANTO MAIS RECENTE FOR O ZUMBIDO, MAIORES SERÃO SUAS CHANCES DE CURA!

Quais são as causas?
As causas podem estar nos ouvidos, próximas a ele ou a distância.
» CAUSA NOS OUVIDOS E PRÓXIMAS: Exposição ao barulho, infecções nos ouvidos, acúmulo de cera, presbiacusia (envelhecimento natural do ouvido), lesões no ouvido por uso de medicamentos ototóxicos, alterações no nervo auditivo (neurinoma do acústico – alterações na camada que envolve os nervos mielina), alterações cerebrais (derrames, traumatismos cranianos, etc.)
» CAUSAS A DISTÂNCIA: Problemas na coluna cervical, alterações na ATM – Articulação Tempomandibular, oscilações de pressão arterial, arritmia cardíaca, distúrbios da tireóide, doenças psicológicas (depressão, ansiedade, síndrome do pânico), erros alimentares – grandes intervalos entre as refeições, abuso de doces, alimentos gordurosos, cafeína.
Impacto na qualidade de vida
Para algumas pessoas, o zumbido quase não incomoda; para outras, é muito estressante e atrapalha a qualidade de vida.
Às vezes, o zumbido dura 24 horas por dia!
Assim, pode atrapalhar o sono, diminuir a concentração no trabalho ou na leitura, deixar a pessoa mais ansiosa, irritada ou deprimida.
Zumbido é sinal de alerta!
O zumbido avisa que algo que você não sabe ou que não deu importância, está acontecendo.
Se você tem zumbido, procure um otorrinolaringologista.

TRATAMENTO

A melhor estratégia é tratar primeiro as causas reversíveis e controláveis, e reavaliar o zumbido após algum tempo. A abordagem clínica podem incluir dietas restritivas e fracionadas, correção de erros alimentares, medicações, fisioterapia, tratamento com o dentista para corrigir problemas na articulação da mandíbula, avaliação psiquiátrica, psicoterapia.
Os diversos medicamentos disponíveis no mercado podem melhorar o zumbido em até 50% dos casos. Quando a perda auditiva é tão importante quanto o zumbido, a adaptação de aparelhos de audição ou próteses auditivas pode melhorar não só a capacidade de ouvir por meio da ampliação dos sons, como também diminuir a percepção e o incômodo do zumbido.

Para pacientes com surdez profunda, o implante coclear (conjunto de eletrodos inseridos no interior da orelha) pode ser uma alternativa terapêutica.

Para os casos em que o zumbido incomoda e ou interfere na qualidade de vida a TRT (Tinnitus Retraining Therapy ou Terapia de Habituação do Zumbido) pode ser usada. Trata-se de um método de tratamento que visa diminuir a percepção do zumbido por meio de dois princípios básicos: aconselhamento terapêutico e enriquecimento sonoro. Este último pode ser feito com gerador de som individual.

Outras estratégias também podem ser adotadas como BIOFEEDBACK (técnica de relaxamento que ensina a controlar as reações do corpo ao estresse) e terapia cognitiva (aconselhamento baseado no tratamento e no ajuste das reações emocionais dos comportamentos negativos e dos padrões de pensamentos relacionados ao zumbido).

DICAS PARA PREVENÇÃO E TRATAMENTO DO ZUMBIDO:

1. Evite ambientes muito barulhentos (shows, festas, motores, fogos de artifício). Se for inevitável, use plugs abafadores de som e/ou faça intervalos a cada hora;
2. Reduza o uso do celular no ouvido. Prefira o viva voz e mensagens de texto;
3. Evite ouvir música com fones de ouvido. Se usá-los, faça-o por períodos curtos e volume baixo;
4. Enriqueça seus ambientes com sons suaves a agradáveis. Evite o silêncio absoluto;
5. Durma bem. Observe se as horas de sono foram suficientes para acordar bem disposto;
6. Alimente-se bem. Coma de 3 em 3 horas, evitando o abuso de doces, álcool, cafeína, nicotina e gorduras;
7. Hidrate-se bem;
8. Faça exercícios físicos com regularidade;
9. Evite a automedicação. Alguns medicamentos anti-inflamatórios e antibióticos podem alterar o ouvido;
10. Alivie o stress. Dedique um tempo livre do seu dia a alguma atividade relaxante e prazerosa.

SETOR ESPECIALIZADO NO DIAGNÓSTICO, TRATAMENTO E REABILITAÇÃO DO ZUMBIDO.

O NEZ disponibiliza os mais modernos métodos diagnósticos para uma melhor avalização das doenças otológicas e do zumbido:

  • AUDIOMETRIA
  • TIMPANOMETRIA
  • AUDIOMETRIA DE ALTA FREQUÊNCIA
  • EXAME OTONEUROLÓGICO
  • VEMP
  • EMISSÕES OTOACÚSTICAS
  • ELETROCOCLEOGRAFIA (ECOG)
  • P300
  • BERA
  • PROCESSAMENTO AUDITIVO CENTRAL – PAC
ZUMBIDO – download em PDF
ATENÇÃO! É MUITO PERIGOSA A AUTOMEDICAÇÃO, POR ISSO PROCURE SEMPRE SEU MÉDICO.