As cirurgias do esôfago e estômago são procedimentos pouco invasivos realizados para solucionar problemas do trato digestivo, controle de Diabetes tipo 2 ou obesidade, proporcionando maior qualidade de vida ao paciente.

Cirurgia do esôfago e estômago

Com recursos e técnicas cada vez mais avançados, poupa-se o paciente de grandes incisões e longos períodos de pós-operatório, permitindo ao médico solucionar disfunções metabólicas ou intercorrências do sistema digestório, como:

  • Refluxo gastroesofágico;
  • Acalasia: disfunção na musculatura do esôfago, dificultando o ato de engolir;
  • Câncer gástrico;
  • Tumores benignos;
  • Câncer de esôfago;
  • Obstruções;
  • Obesidade: a cirurgia bariátrica reduz a ingestão de alimentos;
  • Diabetes Mellitus tipo 2: controla-se a enfermidade com cirurgia metabólica.

Assim, as cirurgias do esôfago e estômago solucionam problemas distintos do sistema digestório, além de servirem de tratamento para obesidade ou controle de Diabetes do tipo 2.

Elas são uma alternativa para casos em que o tratamento clínico não foi suficiente para restabelecer a saúde do paciente. Por intermédio de métodos menos invasivos, recorre-se às cirurgias do esôfago e estômago a fim de agregar qualidade de vida ao enfermo.

No caso de pacientes com obesidade mórbida, em que as medidas anteriormente adotadas não surtiram o efeito desejado de emagrecimento, propõe-se a cirurgia bariátrica para a diminuição da capacidade de absorver calorias, possibilitando a perda de peso e eliminação das comorbidades.

Técnicas

Os processos utilizados nas cirurgias do esôfago e estômago são minimamente invasivos, pois utilizam-se de videolaparoscopia ou robótica, evitando grandes incisões.

Ao utilizar o endoscópio, aparelho em forma tubular, os médicos precisam cortar apenas 2cm para introduzir as ferramentas e câmera. Dessa forma, todo o procedimento é feito com o corpo fechado, evitando complicações e desconforto para o paciente no pós-operatório.

De acordo com cada caso ou estágio, o médico especialista define qual técnica utilizar na cirurgia do esôfago e estômago, assim by-pass gástrico ou gastrectomia vertical “sleeve” são feitas para desviar o trânsito intestinal ou diminuir o volume gástrico.

A inserção de válvulas para controla refluxos e facilita a deglutição em estágios iniciais ou intermediários de algumas anomalias. O procedimento também permite a remoção total do esôfago, reduzindo as chances de recidiva da doença.

Obstruções são resolvidas com alargadores do tubo estrangulado ou a retirada da protuberância responsável pelo estreitamento do canal, impedindo a passagem do alimento.

 Indicações

Normalmente, os especialistas indicam terapias convencionais, como mudança dos hábitos alimentares e medicamentos para conter as doenças do trato digestivo.

E propõem as cirurgias do esôfago e estômago para situações em que o tratamento não surtiu o efeito esperado ou a anomalia necessite de extração de obstruções ou implante de válvulas para corrigir o problema.

A partir de soluções menos incisivas, o paciente consegue controlar com a cirurgia bariátrica disfunções decorrentes da obesidade, como apneia do sono, hipertensão, refluxo gastroesofágico, dentre outros.

Essa alternativa de tratamento agrega ótimos resultados sem necessitar de longos períodos de repouso ou desconfortos no pós-operatório, diminuindo os riscos para o paciente, como costuma acontecer numa cirurgia mais agressiva.

Os procedimentos oncológicos têm apresentado ótimos resultados ao dispor das cirurgias do esôfago e estômago para extrair cânceres dessas regiões por reduzir a incidência de hemorragias e infecções.