Uma cirurgia no queixo pode ter objetivos diferentes, de acordo com a necessidade do paciente.

O queixo pode ser operado para diminuir a proeminência do osso ou ser reposicionado e realinhando em conjunto com o maxilar e a arcada dentária.

Os pacientes que passam por este último procedimento, podem ter o queixo retraído ou projetado, ficando sem o contorno inferior do rosto e os dentes inferiores ou superiores projetados para frente.

Então, seja por um objetivo estético ou de correção de saúde, a cirurgia no queixo devolve o bem-estar e a autoestima dos pacientes.

Continue a leitura e conheça melhor cada tipo de cirurgia e como os procedimentos são realizados.

Quais são os tipos de cirurgia no queixo?

Neste post, vamos conhecer três tipos de cirurgia no queixo e seus objetivos. São elas:

  • Cirurgia ortognática;
  • Mentoplastia;
  • Osteotomia.

Apesar de acontecerem na mesma região do rosto, cada uma tem uma técnica diferente e é indicada para um determinado objetivo.

Vamos conhecer melhor os três tipos de cirurgia no queixo:

1. Cirurgia ortognática

A cirurgia ortognática é um tipo de cirurgia Buco Maxilo Facial, uma área da Odontologia que trata doenças, anormalidades e traumas que afetam a cavidade bucal, o maxilar e a região facial do crânio.

Então, essa técnica vai além da cirurgia no queixo e envolve o reposicionamento total da mandíbula e da arcada dentária, recuperando as funções corretas das articulações.

Com esse procedimento, melhora-se em conjunto a simetria estética do rosto e valoriza-se os contornos da face e o sorriso perfeitamente alinhado.

Quando existe indicação para a cirurgia ortognática, o paciente pode ter tipos de desalinhamento diferentes como:

  • mandíbula projetada para frente: queixo fica “pontudo”;
  • mandíbula projetada para trás: “ausência” de marcação do queixo e “papada” do pescoço;
  • mordida aberta: as arcadas dentárias projetam os dentes para frente;
  • assimetria facial: a mandíbula está “torta” e leva a parte inferior do rosto para um lado;
  • sorriso gengival: área da gengiva maior e exposta durante o sorriso.

Tipos de desalinhamento da mandíbula.

Com a mandíbula na posição errada, projetada para frente ou para trás como na imagem acima, o queixo é prejudicado, alterando o contorno facial.

Além disso, o quadro prejudica funções como a mastigação, os dentes ficam desalinhados e o pescoço ganha uma “papada” que não é natural, especialmente em pacientes jovens.

Esse tratamento, portanto, é mais complexo, assim como a cirurgia que é feita com anestesia geral e que tem um pós-operatório bastante rigoroso para garantir a cicatrização correta.

O paciente também precisa manter um tratamento ortodôntico, fazendo o uso de aparelhos que auxiliam na recuperação.

O processo de recuperação da cirurgia dura, em média, 30 dias, mas o tratamento como um todo pode levar de três a seis meses, variando de caso para caso.

Por isso, é importante passar pela avaliação de um médico para saber se o indicado será a ortognática ou as outras duas cirurgias abaixo.

2. Mentoplastia

A mentoplastia é outro tipo de cirurgia no queixo (mento) que faz a correção estética da região. Com o procedimento, é possível remodelar, aumentar, diminuir o tamanho e/ou volume ou ainda corrigir deformidades.

O paciente que passa pela mentoplastia também pode ter quadros de proeminência, retração ou assimetria do queixo.

Nesse caso, não envolve toda a estrutura facial como na cirurgia ortognática, apenas a região do mento.

Porém, na avaliação para a cirurgia, o médico analisa boca e nariz para que a harmonia do rosto seja garantida.

Em alguns casos, a rinoplastia é incluída para tornar o formato do nariz mais harmonioso em relação à face.

A técnica da cirurgia varia de acordo com o objetivo. 

Na mentoplastia de redução é feita uma incisão na parte interna da boca e a ponta do osso do mento é cortada e reposicionada na posição correta com a ajuda de pinos de titânio.

Caso o objetivo seja a mentoplastia de aumento são colocadas próteses ou enxerto de gordura para preencher a região.

A mentoplastia é realizada com o objetivo de tornar o contorno do queixo mais delicado e feminino quando é incluída no conjunto de procedimentos de Feminização Facial.

No pós-operatório, os lábios, os dentes debaixo e o queixo costumam ficar adormecidos por um tempo durante a recuperação.

A dieta se mantém pastosa e líquida e para casos de dor o médico receita analgésicos.

3. Osteotomia

Por fim, temos a osteotomia, que não é uma cirurgia no queixo especificamente, mas que promove alterações que podem valorizá-lo.

No procedimento, o osso do maxilar é fraturado usando um método cirúrgico que é feito utilizando-se uma serra ou formão. 

O objetivo da osteotomia é redesenhar os maxilares, proporcionando maior simetria à face.

Diferente da cirurgia ortognática, a função dessa cirurgia é estética. Assim como a mentoplastia, a osteotomia também pode ser incluída no protocolo de Feminização Facial.

A recuperação exige atenção para que o osso cicatrize corretamente. A alimentação deve ser líquida ou pastosa para não forçar a mastigação.

O acompanhamento com o médico também deve ser mantido de perto até a recuperação total do procedimento.

Quanto custa uma cirurgia no queixo?

Cada um dos tipos de cirurgia no queixo que citamos acima tem um valor diferente, que varia de acordo com a região do país e os profissionais envolvidos.

A cirurgia ortognática é feita por cirurgiões dentistas especialistas em Buco Maxilo Facial. Já a mentoplastia e a osteotomia são realizadas por cirurgiões plásticos.

Além disso, os custos médicos como internação, materiais e equipe de apoio entram no orçamento.

Pesquise clínicas ou profissionais referência nesse procedimento na sua região e faça uma avaliação para obter propostas de preço.

Com um cirurgião competente à frente da sua cirurgia no queixo, as chances de sucesso são muito maiores!

Este post foi escrito especialmente para o blog XXX e é uma iniciativa do Instituto Maxilo Facial de apresentar como funcionam diferentes tipos de cirurgia no queixo e os benefícios para a saúde e autoestima dos pacientes.