O que é uma crise de labirintite?

A labirintite é uma inflamação no ouvido que afeta a região do labirinto, que é a responsável pela audição e equilíbrio, e o que leva ao desenvolvimento dos sintomas e da crise de labirintite.

A crise de labirintite pode acontecer em qualquer momento do dia e pode fazer com que a pessoa tenha tontura, dificuldade para manter a visão focada e dificuldade para se equilibrar. Essas crises podem ser de curta duração ou longa, podendo durar de alguns minutos até horas, e acontecem, principalmente, quando se faz movimentos bruscos com a cabeça, se levanta de forma rápida ou quando se está em um ambiente muito iluminado ou com diversos estímulos auditivos e visuais.

É muito importante dizer que a crise de labirintite, se for intensa, pode até mesmo impedir que a pessoa realize s atividades do dia a dia. Além disso, os sintomas podem variar de pessoa para pessoa, podendo ser mais leves ou mais intensos.

Entre os sintomas da crise de labirintite se destacam:

– Enjoo;

Zumbido no ouvido;

– Dificuldade para focar a visão;

– Dor de cabeça constante;

– Dificuldade para ouvir;

– Problemas para manter o equilíbrio.

A região interna do ouvido, chamada de labirinto, merece a nossa atenção, já que problemas relacionados a ela podem afetar a qualidade de vida do paciente de forma significativa. Um dos problemas que podem afetar o labirinto é a chamada labirintite, que precisa ter o diagnóstico precoce e devido tratamento para que seja controlada e até mesmo curada.

Neste artigo, vamos te contar mais detalhes sobre crise de labirintite o que fazer quando elas acontecem, os motivos pelos quais essas crises acontecem e também sobre a importância de profissionais e clínicas especializados para tratar esse problema. Continue a leitura!

Por que a crise de labirintite acontece?

A crise de labirintite acontece devido a inflamação no ouvido chamada de labirintite e que ainda não se sabe ao certo qual é a causa exata desse problema, já que podem ser desencadeadas devido a diversas razões, como: infecções virais, tumores, estresse, doenças circulatórias, diabetes e hipertensão.

Já entre os fatores de risco para o desenvolvimento da labirintite e consequentemente as crises, podemos citar: sedentarismo, idade avançada, consumo excessivo de bebidas alcoólicas, tabagismo, ansiedade e outras infecções no ouvido, hipoglicemia, colesterol alto, hipertensão, diabetes, uso de medicamentos específicos, má alimentação, ansiedade, entre outros.

Para aliviar os sintomas durante uma crise de labirintite e evitar novas também, alguns cuidados podem ser adotados no dia a dia, como:

– Evitar realizar movimentos bruscos com a cabeça;

– Evitar levantar a cabeça muito rápido;

– Evitar assistir filmes 3D;

– Evitar se expor a muito estímulos visuais, como fogos de artificio;

– Evitar locais muito barulhentos;

– Evitar bebida alcoólica em excesso e outros estimulantes, como café e refrigerantes a base de cola;

– Manter uma rotina alimentar saudável, dormir bem e fazer exercícios físicos com regularidade.

Caso a crise de labirintite já esteja acontecendo, o recomendado é se se sente em uma cadeira, com as costas retas e que se olhe fixamente para um ponto qualquer. Nesses períodos de crise, não é recomendado dirigir veículos ou operar máquinas e em qualquer dúvida sobre crise de labirintite o que fazer é imprescindível que se procure por ajuda médica.

Qual médico é responsável em tratar a labirintite?

A labirintite pode ser detectada por um clínico geral, mas o mais indicado e em casos mais graves, é que todo o tratamento e acompanhamento seja feito por um otorrinolaringologista, que é o médico especialista em doenças voltadas para o ouvido, o nariz e a garganta.

No diagnóstico é de extrema importância que o médico realize uma avaliação detalhada a fim de descobrir quais são as causas da labirintite e das crises. No geral, são colhidos dados e informações do paciente, como pressão arterial, são feitos exames para verificar sinais de inflamações ou infecções no ouvido, e também testes de equilíbrio. Em determinados casos, pode ser necessário ser realizado o exame otoneurologico, tomografia e ressonância magnética.

Já em relação ao tratamento, é relevante dizer que muitas vezes o resultado pode ser tão satisfatório que a labirintite é curada. No geral, o tratamento para labirintite envolve remédios para crises de labirintite, que conseguem diminuir a tontura e o enjoo. Além disso, também há possibilidade de exercícios de reabilitação do labirinto e, em situações especificas, pode ser necessário que seja realizado uma cirurgia no ouvido interno.

Quais clínicas são especializadas no tratamento da labirintite?

Agora que você já sabe sobre crise de labirintite o que fazer, é importante que saiba também sobre a relevância de procurar por médicos e clínicas especializadas.

Como dissemos anteriormente, a labirintite pode ser curada em muitos casos, mas é fundamental que sejam realizados o diagnóstico e o tratamento correto. Caso contrário, é possível que haja complicações recorrentes da labirintite, como enxaqueca, riscos de queda em idosos e vertigem intensa. Além disso, pode haver comprometimento das atividades sociais, profissionais, sensação de insegurança, depressão, medo, pânico e, em casos mais graves, surdez.

Por isso, ao perceber os sintomas e para todo o seu tratamento de crise de labirintite, não deixe de procurar por profissionais qualificados. Em São Paulo, a sua melhor opção é a SEPAM, clínica que oferece todos os testes, exames e avaliações necessários para o diagnóstico da labirintite, além do tratamento realizado por profissionais altamente especializados, em um ambiente com equipamentos de última geração e infraestrutura de qualidade.

Saiba mais sobre a SEPAM

Desde 1996, a SEPAM é especializada e referência nas áreas de otorrinolaringologia, audiologia, fonoterapia e otoneurologia. Todos os diagnósticos e tratamentos são realizados com equipamentos e tecnologia de ponta, o que entrega ao cliente precisão e confiabilidade. Vale destacar, ainda, o corpo clínico, constituído por profissionais renomados em suas áreas de atuação.

Como alguns tratamentos realizados na SEPAM estão os de distúrbios de sono, dor de garganta, desequilíbrio e tontura, ronco e apneia, tosse, labirintite, obstrução nasal, refluxo, rinite, zumbido, entre outros.

Dra. Cristiane C. Viana Soares Vainchelboim

CRM: 77801 – SP